×

Cronograma Oficial do VS-50 COM DATA DE LANÇAMENTO

VS-50 foguete

Cronograma Oficial do VS-50 COM DATA DE LANÇAMENTO

O projeto mais aguardado do programa espacial brasileiro já está a caminho, entramos em contato com a Agência Espacial Brasileira e o Coordenador de Veículos Lançadores Fábio Rezende respondeu com um cronograma completo com todas as próximas etapas do projeto.

Etapa 1 – Carregamento (Abastecimento) dos motores S-50 [Concluído]

Como noticiado anteriormente, o carregamento dos motores S-50 já foi concluído, veículos de combustível sólido são abastecidos junto ao processo de sua construção, devido ao estado físico da mistura propelente.

Primeira Ignição de um Motor S50, com Tubeira Fixa, realizado na Usina Coronel Abner

Etapa 2 – Entrega do motor às instalações da Usina Coronel Abner [Em Duvida]

A Usina Coronel Abner é um centro de testes de motores foguete, posicionado a beira de uma pedreira abandonada onde os motores podem ser ignitados em segurança, mas não sabemos se o motor em si foi entregue ou não, pois o documento diz que a previsão de entrega é Fevereiro de 2024 podendo ser Adiado para Março, porém o documento não deixa claro se foi adiado ou não.

Etapa 3 – Segundo Tiro em Banco do Motor [Junho de 2024]

A segunda ignição em banco de testes será realizado no mês de junho desse ano, a principal diferença é que este motor agora utilizará um sistema de gimbals, ou atuadores eletromecânicos, para controlar a tubeira, o sistema que controla atitude de foguete durante a sua decolagem, essa tubeira móvel será desenvolvida pelo DLR, a Agencia Espacial Alemã.

Etapa 4 – Entrega do Quinto Motor Fabricado pela Avibrás [Dezembro de 2024]

Caso dê tudo certo com o teste, a Avibrás entregará o quinto motor, o primeiro modelo de voo do motor S50, para o voo do foguete VS-50, com as alterações exigidas após o Tiro em Banco;

Etapa 5 – Entrega dos Sistemas Fabricados pelo DLR [Dezembro de 2024]

No mesmo mês também será entregue a Coifa, Sistema de navegação primário, Tubeira Móvel e outros subsistemas de responsabilidade do DLR;

Etapa 6 – Ensaios Dinâmicos de Aceitação [Entre Janeiro e Fevereiro de 2025]

Já no início de 2025 serão os testes integrados do VS-50, onde será verificado se os sistemas do DLR e do IAE funcionam bem integrados;

Etapa 7 – Preparação do CLA [Até Fevereiro de 2025]

Preparação da Plataforma de lançamento em alcantara;

Etapa 8 – Início da janela de lançamento do Primeiro VS-50 [Março de 2025]

Inicio das operações de lançamento do VS-50 no centro de lançamentos de alcantara no maranhão, nessa missão o segundo estágio do VS-50, o motor S-44, será inerte, ou seja, será um peso morto, por que o objetivo dessa missão será testar o motor S50 em voo;

Etapa 9 – Entrega pela Avibrás do Sexto motor S-50 [Até Dezembro de 2025]

Caso dê tudo certo com o Voo, a Avibrás entregará o sexto e ultimo motor S-50 previsto em contrato e o segundo modelo de voo do VS-50;

Etapa 10 – Inicio da Janela de Lançamento do Segundo VS-50 [Março de 2026]

Nessa missão será lançado o Planador Hiperssônico Hexafly, desenvolvido pela Agencia Espacial Européia, ESA, e o VS-50 estará na sua versão completa;

Planador Hiperssônico HEXAFLY, da Agência Espacial Européia, que será lançado no segundo voo do VS-50

Etapa 11 – Assinatura de um novo contrato para a produção de mais motores S-50 [Até Março de de 2026]

Segundo o coordenador de veículos lançadores, Fábio Rezende, “Em relação à compra dos S-50 para o Veículo Lançador de Microssatélites (VLM), caso o cronograma se mantenha, está prevista para acontecer até março de 2026. Nesse sentido, qualquer decisão relacionada à aquisição dos S-50 será comunicada oportunamente.”

Etapa 12 – Entrega dos dois motores S-50 que equiparão o VLM-1 [Até Dezembro de 2026]

Caso tudo dê certo, a empresa escolhida para entregar os novos S-50, que pode ser a avibrás ou não, terá até dezembro de 2026 para entregar os dois modelos de voo do S-50, tanto o motor com tubeira para Nível do Mar quanto o motor com tubeira modificada para o vácuo que serão usados no primeiro modelo de voo do Veículo Lançador de Microssatélites, VLM.

INÍCIO DA JANELA DE LANÇAMENTO DO VLM-1 [MARÇO DE 2027]

E finalmente, se nada atrasar e se tudo der certo o VLM-1 será lançado em algum momento do mês de março de 2027


Fonte: Coordenação de Veículos Lançadores da Agência Espacial Brasileira

Via Lei de Acesso a Informação

Documento Oficial da AEB:

Share this content:

34 comentários

comments user
Alexandre V.Rodrigues

Prezado Raul. Uma resposta excepcional aos seguidores do Foguetesbrasileiros, confirmando varias hipóteses aqui levantadas. Os pontos a esclarecer:

1-A AEB não comenta sobre os demais itens do IAE que compõem o VS50-v1: o motor inerte S-44 e a carga útil SISNAV como sistema de navegação auxiliar. Importante salientar a inteligente decisão da FAB de qualificar o SISNAV no voo do Hanbit em 2023. Ele já está com TLR 8.

2-Para o v2 do S50, não foi comentado a necessidade de teste em banco do S44 (2 estágio). Embora esse motor tenha voado em foguetes anteriores. Talvez a razão do maior prazo para a prontidão desse voo.

3-A carga útil do v2 seria o Hexafly. Planador hipersônico da ESA. Será uma imensa responsabilidade testar uma carga útil desse calibre. Teremos alcançado um novo patamar com esse voo.

4-A última incógnita será se, e qual carga útil o VLM-1 v1 vai transportar. O usual é ter carga útil somente no v2, após um v1 exitoso.

Em resumo: a chance da FAB/IAE se redimir com a sociedade brasileira se aproxima. Devemos manter a vigilância.

    comments user
    foguetesbrasileiros.com

    eu sinceramente só queria que não houvesse mais adiamentos, MAS estamos num ritmo bem melhor que antes, parecido com o ritmo da NASA com o SLS, e muito obrigado pelas informações complementares irei editar a notícia para que ela fique mais completa

      comments user
      Arthur

      Realmente, adiar é triste mas, é melhor adiar e ser entregue sendo tudo bem feito para o voo ter mais chance de dar certo , do que não adiar e não ser entregue para no final sair tudo mal feito!

comments user
Alexandre V.Rodrigues

Apenas um comentário adicional a etapa-11: o esperado seria um aditivo contratual com a Avibras, relativo aos dois motores de voo do VLM1-v1. Mas considerando as incertezas em relação a referida empresa, difícil firmar uma posição, que se aplicam também as etapas 4 e 9. Ou seja, como já discutido aqui, o projeto está nas mãos da Avibras, e a diligente gestão do IAE.

    comments user
    Arthur

    A Avibras foi de Austrália, como vai ser?? Bem que tem varias empresas BR privadas por ai

comments user
Meireles

Os alemães, e os italianos sempre vão boicotar o programa espacial brasileiro, pois os brasileiros são descendentes dos judeus, os judeus não são uma religião, os judeus é uma etnia, as verdadeiras etnias são judeus, cananeus, filisteus, amorreus, e etc…
Então os alemães vão explodir o foguete novamente, pois são inimigos dos judeus que são a maioria do povo do Brasil, estão no Brasil pra escravizar os judeus, e explorar apenas como país colonizadores…

    comments user
    Joel Reinhardt

    Trabalhamos por muitos anos com a DLR, e o diretor deles, durante a conversa que tivemos , elogiou muito os nossos foguetes e pediu desculpas pelas falhas em algumas cargas uteis. Deixou o pessoal da NASA e ESA tomando café enquanto foi mee mostrar a montagem do protótipo da tubeira. E comentou que o projeto MORABA é o principal programa da DLR. Acho que temos uma parceria de sucesso..

      comments user
      Alexandre V.Rodrigues

      O DLR está tão envolvido nesse projeto como nós. Os custos divididos em proporções iguais. Seria realmente estranho eles não trabalharem para o sucesso do projeto.

        comments user
        Arthur

        Eles certamente valorizam muito o projeto pois além do Brasil eles também irão finalmente lançar um foguete de novo e agora em projeto conjunto, e esse foguete poderá trazer muitos benefícios a ambos os países.

    comments user
    Laertius

    Rapaz, onde foi que vc comprou esse baseado que você fumou? Cara isso que vc fumou foi bosta processada, você tá falando muita merda

comments user
Josué

Tomara Deus que dê tudo certo, vamos aguardar.

comments user
Almir

Cuidado com sabotagem, no dia que for lançar ve se não tem um barquinho americano ou francês, ancorado lá próximo.

comments user
Lantenay Medeiros Filho

Gostaria de estar vivo para ver a Missão Espacial Brasileira cumprir seu papel no âmbito industrial e de segurança nacional.
Mandar nossos satélites para o espaço! Fortalecer nossa soberania. Conquistar credibilidade na comunidade internacional.

comments user
Aurélio

Pra segurança do país, fazer com sigilo pra que divulgarem.

    comments user
    Erick

    Transparência nesse sentido é o melhor para o projeto. De outra forma, como conseguirão apoio? Guerra fria já acabou…

comments user
Sergio Carneiro

Fico muito feliz em ver a retomada do programa espacial brasileiro, especialmente com lançamentos previstos para Alcântara. Soube também que haverá lançamentos em Barreira do Inferno -RN. Pensei que estivesse desativada.

comments user
MILTON ALVES DE MENDONCA

O país encontra-se muito em termo de tecnologia Aero Espacial. Chega até ser vergonhoso. Quando temos um chefe de estado que só pensa no seu próprio umbigo e de seus pares. Já chegou a gastar mais de 1 bilhão em viagens turísticas e sem fundamento pelo mundo. Parece até que o País não tem Governo.

    comments user
    Cristiano 13

    Kkk,o anterior sim,com as motociatas,como pária do mundo esse sim,dando de graça a base de Alcântara para o Trump,olha que patriotismo,e investimentos sem nada igual,ps:que mundo vc vive?

      comments user
      foguetesbrasileiros.com

      eu não sou muito fã do atual governo, mas ele ter incluido um acelerador hipersônico e o reator nuclear do ProSub no novo PAC foi um feito incrível, e esse acelerador hipersônico possivelmente vai ser o proprio VS-50

        comments user
        Alexandre V.Rodrigues

        Não seria o projeto 14-X do IEAv? Afinal, já voou o primeiro protótipo no final de 2022.

          comments user
          Raul Carlos

          O acelerador hipersônico é um foguete comum suborbital que vai levar o 14X

            comments user
            Alexandre V.Rodrigues

            Entendido Carlos. Então deve ser o VS-50 v2, já mencionado nesse artigo .

      comments user
      Rogério Cezar Procópio

      E vc vive num pasto cheio de jumentos enganados petista ridículo

comments user
Zé love

2027 VLM.. bom melhor que nada.. mas é angustiante torcer para o Brasil arggghh

comments user
Wilson Ramos

O Programa Espacial Brasileiro é prioritário para dignificar o Povo Brasileiro.
E os Agentes de Inteligência e Contra-inteligência têm que ser Honrados Patriotas, tanto na FAB, quanto na AEB, quanto no Governo Federal!
E punirem severamente qualquer tendência ou atitudes suspeitas contra O Programa Espacial Brasileiro, por Crime contra a Segurança Nacional, praticado por possíveis paus mandados traidores da Pátria!!!

comments user
Erick

Já existe alguma ideia do que o VLM-1 deve lançar em seu primeiro voo (cube sat, coifa vazia…), ou vão deixar essa decisão mais para frente?

    comments user
    Alexandre V.Rodrigues

    Até onde foi publicado, o INPE seria o responsável pela carga útil/satélite, com peso de 30 kgf. Olhando a lista de projetos do INPE, o que mais se aproxima seria o Turisat que, pelas informações disponibilizadas, não está em curso, nem tem prazo de conclusão.

    comments user
    Raul Carlos

    Pelo o que eu fiquei sabendo o primeiro voo vai ser vazio e suborbital, com terceiro estagio falso, o segundo vai levar um veículo de reentrada do DLR e aí sim num possível 3 voo vai levar um satélite do INPE

comments user
Arthur

Em 2025 vai sair notícia “Vs-50 e adiado para 2026…”

comments user
Fulvio Luiz Delicato Filho

Tanta gente “competente” criticando o programa que é POSSÍVEL FAZER com o dinheiro que temos e os técnicos que ainda estão na ativa. Por que esses doutores sabem tudo não se candidatam a ir lá e fazer melhor? É muita arrogância! Nossos engenheiros e técnicos fazem mágica com o que temos. Eu os admiro.
Poucas pessoas sabem mas o software é toda a calibração do sistema de pouso do módulo lunar em 1969 foi desenvolvida e calibrada aqui no Brasil por brasileiros encomendada pela NASA, pois nossa capacidade nessa tecnologia era infinitamente superior a americana já naquela década.
Respeitemos, apoiamos e valorizamos esses engenheiros e cientistas que apesar de todos os problemas de um país imaturo, mal educado e muitas vezes de interesses não tão claros, ainda conseguem fazer milagres.

comments user
31.01hs37141n18a1jnjs7axw3kw0@mail5u.pw

aut praesentium doloribus omnis architecto aliquid optio. atque deleniti rerum vero similique deleniti minima non placeat totam voluptas et similique temporibus.

comments user
34.01hs37141n18a1jnjs7axw3kw0@mail5u.run

ullam distinctio quia aut sunt qui consequatur consequuntur est repudiandae veniam ducimus aut placeat ratione veritatis mollitia eligendi. sapiente possimus odio similique assumenda quod minima. sed perspiciatis et sit minima quo in vero nostrum sint sed. iure ullam totam excepturi et reprehenderit repellendus explicabo molestiae.

comments user
35.01hs37141n18a1jnjs7axw3kw0@mail5u.xyz

nihil mollitia earum labore autem delectus. fuga ut quia animi cumque odio et animi nihil ipsum harum ipsum incidunt quia ullam quos et tenetur. ut aut molestias repellendus nam sed velit qui quis et aliquid rerum adipisci nulla impedit velit expedita ut neque excepturi nisi. et saepe numquam vel aliquam qui blanditiis assumenda natus enim sunt vel quos. dolor non odio quaerat nam deleniti ea fuga dolorum vero ut quasi neque inventore optio tempora.

comments user
medranostarckuzz8n0+1ub1hfdhknoq@gmail.com

ipsam quasi accusamus incidunt esse deserunt voluptate dolorum officiis repellat quia. sit molestiae cupiditate harum. voluptatem facilis sint voluptatibus esse nisi vitae aut quia minus suscipit id at qui quisquam deleniti distinctio.

Publicar comentário