×

Agência Espacial Brasileira participa da Reunião Plenária da ISO 2023 em São José dos Campos

Agência Espacial Brasileira participa da Reunião Plenária da ISO 2023 em São José dos Campos

Por: Gov.Br/AEB

O encontro anual traz especialistas do mundo todo para elaboração e atualização de normas técnicas no setor espacial

Nesta segunda (29), ocorreu a cerimônia de abertura da Reunião Plenária do Subcomitê ISO/TC 20/SC 14, um encontro anual entre especialistas de todos os grupos técnicos internacionais responsáveis pelas elaborações e atualizações de normas técnicas para o desenvolvimento de projetos espaciais.

International Organization for Standardization (ISO) é uma instituição internacional não governamental, composta por 168 organismos internacionais de normalização. Sua missão é reunir especialistas do mundo todo para compartilhar conhecimentos e desenvolver padrões internacionais cruciais para o mercado. Esses padrões, elaborados de forma voluntária e baseados em consenso, têm como propósito impulsionar a inovação e fornecer soluções para os desafios globais mais prementes.

“A reunião plenária do subcomitê 14 é a primeira realizada presencialmente depois de muitos anos. Durante esse tempo, muitos novos desafios da indústria espacial tornaram-se aparentes, como o voo espacial humano, a exploração espacial em órbita e a futura energia solar espacial. Essa reunião é a nossa primeira oportunidade, em muitos anos, de falar sobre essas questões. A reunião objetiva formular, não respostas, mas as perguntas a que iremos responder nos próximos anos” afirma Frederick Slane, diretor executivo da Space Infrastructure Foundation e presidente da ISO.

Cada nação possui uma instituição equivalente à ISO, incumbida de formular diretrizes nacionais. Seus representantes desempenham um papel ativo nas reuniões técnicas promovidas pela ISO, oferecendo sua expertise nas respectivas áreas de atuação. Em suas considerações iniciais, o diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), Clezio Marcos De Nardin,  incentivou a importância das organizações se reunirem em prol de um objetivo comum: alavancar o setor espacial de seus respectivos países.

“Para nós, do IFI, do DCTA, e da Aeronáutica, é muito importante o Brasil sediar esse tipo de evento internacional, porque isso mostra a relevância do papel que o Brasil desempenha nos setores espacial e aeronáutico. Estamos lado a lado aqui, participando e sediando eventos internacionais. Isso reforça esses nossos laços internos e isso termina alavancando a imagem do Brasil, como um dos principais players do setor aeroespacial, hoje, no mundo”, declarou o diretor do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial (IFI), Coronel De Brito.

Anualmente, são promovidos encontros entre esses especialistas para verificações, análises, atualizações (principalmente decorrentes de mudanças tecnológicas) e elaborações de normas técnicas aplicadas em todas as fases de desenvolvimento de projetos espaciais. Neste ano, por exemplo, ocorrerá o primeiro encontro do recém-criado WG 8, que trata de voos espaciais com tripulação humana. 

A realização desse evento é um importante passo para a consolidação do Programa de Apoio às Atividades de Normalização e à Qualidade na Área Espacial (QUALIESPAÇO), uma das iniciativas estruturantes do Programa Nacional de Atividades Espaciais (PNAE). O QUALIESPAÇO visa a atuar na elaboração de normas técnicas e na promoção da qualidade, da segurança e da confiabilidade dos produtos espaciais brasileiros.

Durante a abertura do evento, o Presidente Carlos Moura ressaltou que o Brasil é um dos poucos países que atuam em todos os segmentos do setor espacial e, nos últimos anos, criou inúmeras oportunidades de cooperação nacional e internacional, como o desenvolvimento do satélite SPORT com a NASA, o primeiro lançamento privado no Espaço Porto de Alcântara e o primeiro satélite de sensoriamento remoto desenvolvido pela iniciativa privada, o VCUB 1.

“O Brasil tem a ambição de se tornar um um forte participante do mercado espacial. E uma das condições para isso, além da segurança jurídica, nós temos padrões estabelecidos, o que vai desde a parte de terminologia, até processos industriais, tudo que nos permita uma integração mais forte do mercado internacional. A ISO reconhece o trabalho que o Brasil faz há mais de três décadas, contribuindo para o trabalho de memorização. Eu tenho certeza que com essa visão que a gente já tem, esse interesse em se agregar melhor, no mercado espacial, nós vamos ter grandes contribuições para essa reunião plenária da ISO”, ressaltou Carlos Moura, Presidente da AEB.

O encontro dos países membros da ISO 2023 acontece entre os dias 29 de maio a 3 de junho nas dependências do Parque Tecnológico de São José dos Campos, onde está localizado o principal cluster da indústria aeroespacial nacional.

Share this content:

Publicar comentário