×

Nano Satélite de Join-venture que inclui a Embraer aguarda para ser lançado

Nano Satélite de Join-venture que inclui a Embraer aguarda para ser lançado

VCube é um produto da Visiona Tecnologia Espacial, que é fruto de uma Join-venture entre a Embraer e a Telebrás

  • Por Raul Carlos

O VCUB, primeiro nanossatélite totalmente desenvolvido pela indústria brasileira, está pronto para ser lançado à órbita da Terra. Produzido pela Visiona Tecnologia Espacial (joint-venture entre a Embraer e a Telebras), localizada no Parque Tecnológico de São José dos Campos, o nanossatélite completou longos e complexos ciclos de testes no Laboratório de Integração e Testes do Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais).

O equipamento foi submetido a testes de possibilidades de dano como eletromagnetismo, vácuo, temperatura e outras condições adversas que encontrará em órbita, e foi aprovado em todos eles.  Agora, segue viagem até o estado da Califórnia, nos Estados Unidos, onde será realizado seu lançamento no segundo trimestre de 2023.

Em 2021, a Prefeitura de São José dos Campos foi convidada a participar da homologação dos produtos do nanossatélite, através do contrato de parceria com a Visiona. O acordo prevê o recebimento das imagens de alta resolução coletadas pelo nanossatélite que permitirão mapeamento de uso e cobertura da terra, podendo prevenir, por exemplo, irregularidades ambientais.

A análise técnica das imagens será feita por servidores da Secretaria de Urbanismo e Sustentabilidade.

A parceria, portanto, potencializa a capacidade de São José de viabilizar novas soluções para a melhoria contínua do planejamento e da qualidade ambiental urbano e rural, além de estimular o desenvolvimento tecnológico e socioeconômico da cidade.

Considerando que se trata de uma nova tecnologia, a Prefeitura vai validar as imagens coletadas pelo nanossatélite, sem nenhum custo financeiro durante a vigência do contrato.

Além da Prefeitura de São José, a rede de parceiros do Projeto VCUB conta com instituições como o Instituto Senai de Inovação, a Embrapii (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial), o Governo de Santa Catarina, o Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), o Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais), a Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), a CPRM (Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais), o IICA (Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura), a AEB (Agência Espacial Brasileira), o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), o Naturatins (Instituto Natureza do Tocantins) e a Transpetro (Petrobras Transporte).

Geoprocessamento 

Desde 2017, a Prefeitura vem desenvolvendo projetos de alta tecnologia com o uso de imagens de sensoriamento remoto, no âmbito de projetos como o Observa (também em parceria com a Visiona), que consiste no uso de imagens de altíssima resolução para monitoramento, fiscalização e controle ambiental do território visando combater a degradação ambiental, a implantação de parcelamentos clandestinos e a construção em áreas de risco.

A cidade conta também com o Geosanja, plataforma que reúne dados geográficos do município, todos mapeamentos técnicos, serviços públicos, facilidades, acompanhamento das obras públicas, entre outros, para consulta na palma da mão e download dos dados pelos cidadãos.

Sobre o Projeto 

O nanossatélite VCUB baseia-se numa plataforma CubeSat 6U de 12kg com dimensões de 30 x 20 x 10 cm e traz o estado da arte em tecnologias de pequenos satélites.

A missão permitirá o desenvolvimento e validação de tecnologias espaciais desenvolvidas pela Visiona, com destaque para o Sistema de Controle de Órbita e Atitude de satélites, principal lacuna tecnológica da indústria espacial brasileira, além dos softwares de Sistema de Gestão de Dados de Bordo e do Rádio Definido por Software. O projeto incorpora uma arquitetura de sistemas modular e escalável, que poderá ser utilizada em satélites de maior porte no futuro, permitindo a incorporação de mais tecnologias nacionais às missões do Programa Espacial Brasileiro.

Equipado com uma câmera óptica multiespectral com resolução de 3,5 metros e 4 bandas espectrais e de um sistema de coleta de dados reconfigurável via software, o satélite será capaz de realizar missões antes destinadas a satélites de porte bem superior. Sua câmera utiliza tecnologias só encontradas em satélites de grandes dimensões, o que lhe permitirá gerar imagens com qualidades radiométrica e geométrica superiores às encontradas no mercado, fatores fundamentais para aplicações agrícolas e de proteção do meio ambiente. Seu sistema de coleta de dados pode operar tanto no sistema SBCD (Sistema Brasileiro de Coleta de Dados) como em outros protocolos, o que torna o VCUB uma plataforma ideal para aplicações de Internet das Coisas (IoT).

Sobre a Visiona

A Visiona tem sede no Parque Tecnológico de São José dos Campos e é uma joint-venture entre a Embraer Defesa & Segurança e a Telebras, voltada para a integração de sistemas espaciais. Criada em 2012 para atender os objetivos do Pnae (Programa Nacional de Atividades Espaciais) e do Pese (Programa Estratégico de Sistemas Espaciais).

A empresa foi a responsável pelo Programa do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas, o SGDC, lançado em 2017. Em 2018, a Visiona anunciou o programa do primeiro satélite projetado integralmente pela indústria nacional, o VCUB1, e concluiu com êxito o primeiro Sistema de Controle de Órbita e Atitude de satélites desenvolvido no Brasil. A Visiona também fornece produtos e serviços de Sensoriamento Remoto e Telecomunicações por satélite, bem como Aerolevantamento SAR nas Bandas X e P.

Share this content:

Publicar comentário