×

AEB aprova novas missões espaciais para o Programa Espacial Brasileiro

AEB aprova novas missões espaciais para o Programa Espacial Brasileiro

Por: Raul Carlos

Nove missões foram qualificadas para a próxima fase de desenvolvimento

Na terça-feira (13 de Junho) a Agência Espacial Brasileira realizou mais uma reunião do ProSAME, Procedimento para Seleção e Adoção de Missões Espaciais, esse procedimento começou a ser adotado em agosto de 2022, e tem o intuito de facilitar a seleção de missões espaciais

Nessa reunião foram homologadas na carteira de admissão as seguintes missões:

  • CBERS 06
  • BiomeSat
  • NanoMIRAX 2
  • Constelação Catarina – Frota A
  • EQUARS

Também foram homologadas, dessa vez na carteira de qualificação, as seguintes missões:

  •  SelenITA
  • MapSAR
  • AQUAE/Satélite Amazônia 1B
  • ITASAT 2
  • Garatéa-L

Como funciona o ProSAME?

ProSAME é a sistemática que a AEB utiliza para definir e para selecionar as missões espaciais que adota e executa no âmbito do PNAE 2022-2031. Cada nova proposta de missão espacial deve seguir um fluxo de atividades que visa a estabelecer a sua viabilidade técnica e a sua aderência ao PNAE 2022-2031. As propostas de missões espaciais sofrem aprimoramentos a cada etapa desse processo, que reduzem as incertezas e ampliam as suas chances de adoção pela AEB. A porta de entrada para o ProSAME é a Carteira de Admissão, que, sob coordenação da AEB, agrega propostas em estágios iniciais.

Após homologação na Carteira de Admissão, as propostas tornam-se disponíveis para seleção à Carteira de Qualificação. Na Carteira de Qualificação, submetem-se a processo que compreende análises, estudos, proposições e ações com vistas a avaliar suas viabilidades técnicas.

Após o processo de qualificação, as propostas tornam-se disponíveis para seleção à Carteira de Habilitação. Avalia-se, então, a disponibilidade de recursos para a execução da missão, bem como a aderência a instrumentos de planejamento do setor espacial.

A adoção oficial pela AEB de uma missão espacial, com a manutenção de orçamento federal, ocorre somente após se concluírem satisfatoriamente os estudos de definição e de viabilidade da proposta, com o delineamento do processo de produção e de suas fases de detalhamento e de qualificação. A AEB pode apoiar esse processo preliminar à adoção.

Ao adotar uma determinada proposta como missão espacial, a AEB a insere na Carteira de Execução. Compromete-se, a partir daí, com a sua entrega.

Sobre as Missões

CBERS 6

A 6ª geração da constelação de Satélites Sino-Brasileiro de Recursos Terrestres, utilizados para observação da terra, esse novo satélite utilizará uma tecnologia de Radar de Abertura Sintética

BiomeSat

É um Nanossatélite da classe de 10Kg que se destina ao mapeamento de características florestais com base em imagens no espectro visível

Constelação Catarina – Frota A

A Primeira frota de satélites da constelação Catarina, que é uma constelação de satélites para monitoramento ambiental, meteorológico e de clima espacial desenvolvido pelo INPE

EQUARS

O Equatorial Atmosphere Research Satellite propõe-se como um satélite que deverá atender a uma missão científica. Visa a promover o avanço do conhecimento em aeronomia equatorial, especialmente no âmbito das condições atmosféricas que controlam a formação e a evolução das bolhas de plasma equatorial. Poderá, também, atender a aplicações em diagnósticos de clima espacial. Já se submeteu a estudos de definição de missão e de viabilidade técnica no âmbito da AEB, pelos quais se constatou viável

SelenITA

É um cubesat 12U com propulsão que servirá as missões Artemis como primeira sonda de espaço profundo do Brasil

Garatéa-L

Nanossatélite 6U que realizará pesquisas em astrobiologia na órbita da lua durante 28 dias, também parte das missões artemis

MapSAR

É uma missão com a tecnologia de radar de abertura sintética, Synthetic Aperture Radar – SAR, em inglês. Poderá utilizar a Plataforma Multimissão (PMM – A mesma do Amazônia-1) como módulo de Comando e Controle

AQUAE/Satélite Amazônia 1B

Será uma continuação da missão Amazônia, porém com uma carga extra, o AQUAE, para fazer observações do sistema hídrico nacional

ITASAT 2

Cubesat 6U, Continuação da missão Sport, para observação do Clima espacial, IONOSFERA e Geolocalização


Share this content:

Publicar comentário