×

Telescópio Galileo: INPE divulga mais informações

Telescópio Galileo: INPE divulga mais informações

Fonte: Gov.Br/INPE

INPE divulga reportagem sobre o Telescópio Espacial Brasileiro que observará o Sol

O INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) está lançando uma série em seu site, chamada “SECOM Apresenta”, e o tema de sua ultima reportagem foi o Telescópio Espacial Solar Galileo, que será o primeiro telescópio espacial feito pelo Brasil, veja abaixo a reportagem:

SECOM Apresenta: Projeto Galileo Solar Space Telescope (GSST)

Publicado em 07/06/2023 08h54

Neste episódio do SECOM Apresenta o INPE, o servidor Luís Eduardo Antunes Vieira, pesquisador da Divisão de Heliofísica, Ciências Planetárias e Aeronomia (DIHPA), deste Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, unidade do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, nos apresenta o projeto Galileo Solar Space Telescope (GSST).

Em 2013 o Grupo de Trabalho do Projeto Galileo Solar Space Telescope (GSST), propôs o desenvolvimento de instrumentos para medir o campo magnético do Sol, e atualmente executa duas tarefas em paralelo: Desenvolvimento de instrumentação em laboratório e Realização dos estudos para missão espacial.

O Dr. Luís Eduardo é responsável pelo telescópio espacial GSST, destinado a observações em alta resolução espacial e temporal do Sol. O pesquisador explica que o objetivo principal desse projeto é medir o campo magnético do Sol, afim de monitorar toda atividade solar que afeta o planeta Terra, além de monitorar também o clima espacial e terrestre. Duas áreas de estudo de extrema importância, tanto para o instituto quanto para o Brasil.

Em relação ao clima, o pesquisador esclarece que, é essencial considerar que toda a radiação proveniente do Sol desempenha um papel fundamental na organização da nossa atmosfera e dos oceanos, sendo responsável por gerar e sustentar a vida em nosso planeta. Ao mesmo tempo, a atividade solar exerce um controle na quantidade de energia que alcança o topo da atmosfera terrestre, ao longo de escalas de tempo que variam desde meses até milênios, e influencia as condições climáticas tanto em âmbito global quanto regional.

Dessa forma, compreender os efeitos naturais e os efeitos relacionados à atividade humana nas alterações globais e regionais do clima torna-se crucial. Para tal distinção, é de suma importância compreender dois aspectos cruciais: a variação do campo magnético solar e a flutuação da quantidade total de radiação que atinge nossa atmosfera. Esses fatores desempenham um papel fundamental na compreensão da influência solar no clima da Terra, permitindo uma análise mais precisa e abrangente das mudanças climáticas em diferentes escalas de tempo.

A missão GSST desempenha um papel fundamental na área de pesquisa em Clima Espacial do INPE. Por meio da observação e análise do campo magnético solar e da radiação que atinge nossa atmosfera, o GSST fornece informações cruciais para compreender a influência solar no ambiente próximo ao nosso planeta. Esses dados são essenciais para o monitoramento e previsão do Geoespaço, contribuindo para a proteção de infraestruturas críticas, como sistemas de comunicação, sensoriamento remoto e redes elétricas. Desta forma, a missão GSST fortalece o programa de clima espacial do INPE e contribui para o esforço internacional para mitigar efeitos adversos da variabilidade solar.

Liderado pelo INPE, o projeto Galileo Solar Space Telescope, tem grande impacto na comunidade cientifica, já que são poucos os países que possuem um projeto de observações a partir do espaço. É importante enfatizar que observações em alguns comprimentos de onda são possíveis somente utilizando plataformas espaciais. Assim, o GSST realizará observações complementares as de outras missões espaciais contribuindo significativamente a compreensão de como a nossa estrela vizinha, o Sol, funciona.

O Galileo Solar Space Telescope é um projeto institucional que envolve a participação e colaboração de diversas áreas do INPE, como Administração, Engenharia, Mecânica, Setor de Compras e Programas de Pós-Graduação. Essa colaboração multifacetada permite que o GSST se destaque como um dos projetos do INPE capaz de unir e agregar valor a todo o Instituto.

Sobre Luís Eduardo Antunes Vieira

Pesquisador do INPE desde 2013. Possui graduação em Física pela Universidade Federal de Santa Maria, mestrado e doutorado em Geofísica Espacial pelo INPE. Teve a oportunidade de realizar pós-doutorado pelo INPE e pelo Max-Planck-Institut für Sonnensystemforschung (Alemanha). Atuou como pesquisador do Centre National de la Recherche Scientifique (França) de 2009 à Agosto/2012.

Share this content:

Publicar comentário