×

VLM: A História de um Sonho Adiado

VLM: A História de um Sonho Adiado

O tão sonhado Veículo Lançador de Microssatélites é planejado pelo Brasil desde 2008, deveria fazer seu primeiro voo em 2016, mas foi adiado para 2018, depois para 2019, depois para 2020, mas agora so no fim da década

Com o desastre do programa do VLS, após o acidente de 2003, o Brasil tentou se reinventar com um projeto até então, revolucionário, construir um veículo para transportar os inovadores satélites da classe Microssatélites, entre 10 e 100kg, nascia ai o Veículo Lançador de Microssatélites

Começo do Projeto

VLM, VLS-1 E VLS-ALPHA respectivamente

Em 2008, foi apresentado um projeto de 3 foguetes, o VLM, o VLS-1 e o VLS-Alpha, sendo que o VLS-1 seguiria com seu design original, o VLM seria o mesmo que o VLS sem o primeiro estágio (estágio que era composto por 4 motores S43 a combustível sólido), e o VLS ALPHA, que usaria os 2 primeiros estágios do VLS e um 3º estágio movido a oxigênio liquido e etanol (provavelmente um motor L75, porém essa informação não pode ser confirmada)

O VLM continuou seu desenvolvimento, porém o VLS e suas variantes foi cancelado

Os Alemães

Durante o desenvolvimento do veículo VSB-30 (Veja mais aqui) os alemães mostraram interesse em desenvolver um veículo lançador de pequeno porte, dando inicio ao desenvolvimento do motor S50, o primeiro motor com diâmetro superior a 1 metro desenvolvido no DCTA/IAE, e o maior motor foguete do hemisfério sul

O Novo VLM

Os dois modelos do VLM projetados até o momento

Em 2010, o DLR consultou o IAE sobre a possibilidade de desenvolver um lançador capaz de colocar a carga do projeto Shefex III em um voo suborbital e que tivesse capacidade também de colocar em órbita os próximos experimentos desse projeto. O IAE respondeu positivamente com o desenvolvimento do motor S-50 (11 toneladas, 5 metros de altura e cerca de 1,40 m de diâmetro), e foi feita uma revisão no projeto do VLM para a seguinte configuração:

1° estágio – 1 motor S50

2° estágio – 1 motor S50

3° estágio – 1 motor S44 (O Mesmo que era o Quarto Estágio do VLS)

O grande diferencial do motor S-50, é o seu envólucro. Diferente da maioria dos anteriores que são metálicos, este vai ser construído usando materiais compostos, o que reduz o peso total e o tempo de produção de dezoito para três meses. Para isso foi criado um projeto estruturante: o veículo suborbital VS-50, cujo objetivo principal é qualificar em voo os principais subsistemas do VLM-1.

Com essa nova versão, além de atender os requisitos da missão Shefex III, este lançador estaria apto a colocar outras cargas úteis relativamente pequenas em órbita.

Situação Atual

Dia 3 de Outubro de 2021 foi feito o primeiro teste de queima do motor S50, o teste foi realizado na Usina Coronel Abner, UCA, onde é fabricado o propelente de foguete e testado motores no Brasil

O Teste conhecido com “Tiro em Banco” foi feito com a tubeira fixa, o próximo teste será com tubeira móvel

Os planos originais diziam que o Veículo deveria voar em 2018, de lá pra cá foram vários adiamentos, mas a data oficial para o primeiro voo suborbital seria 2023 e o primeiro voo orbital em 2024, mas no final de 2022 solicitarmos à AEB, pela lei de acesso a informação, uma data oficial para o voo, recebemos isso:

“[…]Quanto à previsão de lançamento do VS50/VLM-1, temos as seguintes datas prováveis dos
principais marcos do Projeto:
2º tiro em banco do motor S50 – segundo semestre de 2023;
1º voo do VS50 – segundo semestre de 2024.
2º voo do VS50 – segundo semestre de 2026.
1º voo do VLM-1 – segundo semestre de 2027.

Agência Espacial Brasileira

Na época não existia a Revista Foguetes Brasileiros, então eu enviei a informação para a midia especializada, no caso, o Canal Space Orbit e o Blog Brazilian Space

https://brazilianspace.blogspot.com/2022/09/fantasia-adiada-saiba-mais-sobre-o.html

O Que esperamos é que o VLM realmente tome os ares e decole antes da data oficial, mas conhecendo a situação espacial brasileira, é provável que ele decole no inicio da década de 2030, estando super atrasado e obsoleto

Share this content:

2 comentários

comments user
RAUL CARLOS SILVA GOMES

Uma pena, esse foguete seria um sonho se decolasse

Publicar comentário